EM QUE ACREDITAMOS PDF Print E-mail

Filosofia da Catedral Evangélica Assembleia de Deus

Sabemos que a maior parte dos problemas, crises e divisões na igreja surge da diferença de opiniões ou prefer�ncias contradit�rias, e não de diferenças doutrinárias significativas. A maioria dos cristãos genuínos concorda sobre os assuntos básicos da fé. Os questionamentos, discordâncias e controvérsias de divisão surgem de assuntos periféricos, preferências pessoais, metodologia e perspectivas conflitantes.
Entendemos, portanto, que é necessário estabelecer alguns princípios de nossa filosofia de ministério, com o intuito de manter um espírito de unidade e harmonia na família da igreja. A importância dessa harmonia de pensamento ou filosofia (convicções gerais, conceitos e atitudes de um individuo ou grupo) � ressaltado na carta do apóstolo Paulo aos Coríntios:

�Rogo-vos, por�m, irm�os, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos a mesma coisa, e que n�o haja entre v�s divis�es, para que sejais unidos no mesmo sentimento e no mesmo parecer� (1 Cor�ntios 1.10).
As escrituras enfatizam a import�ncia do acordo harmonioso e o perigo da divis�o (literalmente duas vis�es). Queremos que conhe�a a nossa perspectiva nos assuntos seguintes, de forma que voce seja cuidadoso em evitar qualquer filosofia de divis�o, perspectivas ou prefer�ncias pessoais.

N�s acreditamos que a fam�lia de Deus e da Catedral, nos protege de influ�ncias injuriosas prejudiciais, como insol�ncia, pecados sexuais impenitentes, perpetra��o de heresia, fofoca maliciosa, contenda ou uma atitude de divis�o; ou abandono das responsabilidades dom�sticas.

� Repreens�o amorosa (Tratando com Amor sempre)
� Trasparencia naquilo quie fazemos em todas as areas ( Familia,Financas e em todas as pequenas e grandes partes no qual o ministerio se divide.

Obs. Cada passo desse processo visa trazer a pessoa errante para um verdadeiro arrependimento, onde o companheirismo crist�o � completamente e imediatamente restabelecido.
N�s cremos no exerc�cio dos dons espirituais como evidenciado na igreja primitiva. Tamb�m valorizamos a experiencia de orar �em esp�rito�, ou em �outras l�nguas� para nossa edifica��o pessoal e encorajamento. Cremos tamb�m que o exerc�cio de qualquer dom espiritual deve estar sujeito a avalia��o prudente da lideran�a da igreja, e deve ser expressado de uma maneira sincera, modesta e ben�fica para a fam�lia da igreja.
Enquanto n�o rejeitamos os poss�veis benef�cios de programas de apoio, n�s acreditamos que o poder da Palavra de Deus, o Esp�rito Santo e o sangue de Jesus Cristo � a �nica e �ltima solu��o para as consequ�ncias devastadoras do pecado na alma humana.

N�s acreditamos que nossa congrega��o � s� uma parte da �Igreja em Lisboa�. Somente quando abra�amos o nosso chamado para a unidade com outras Igrejas � que conseguiremos avan�ar a mensagem de Cristo e sua Palavra em nossa cidade e na��o. O nosso desejo � ver muralhas denominacionais removidas, enquanto nos esfor�amos para apoiar outros minist�rios, desenvolvendo a mentalidade de �colaborador� em vez de competi��o. Oramos para que sejamos capazes de abra�ar a �Vis�o de Deus� para esse pais. Os nossos esfor�os e planos como uma igreja local, devem ser examinados nos seguintes termos:

� Estamos avan�ando o Reino de Deus?
� Estamos alcan�ando o perdido?
� Estamos movendo a mao de Deus com a nossa Adoracao
� Estamos fazendo disc�pulos?
� Estamos aben�oando outras igrejas em nossa cidade ou nacao?
� Estamos aben�oando nossa cidade?
� Estamos fazendo miss�es com uma vis�o de mundo?
� Nossos esfor�os hoje, far�o a diferen�a na vida de algu�m na eternidade?

Cremos nisso e fazemos disto nossa filosofia de vida para esse ministerio.